M83 - Hurry UP, We're Dreaming
faça login para votar!
Enviar esse texto
login para votar!
Enviar esse texto
  • Currently 4.00/5
Nota: 4.0 (1 voto)
login para votar!
ficha técnica
Nota: 3 / 5
Ano: 2011
Selo: Mute Records
Estilos: Ambient, shoegaze, indie, eletronic
social bookmarks
M83 - Hurry UP, We're Dreaming
Em seu novo álbum, Anthony Gonzales acerta em algumas canções mas erra ao exagerar no tamanho de seus sonhos
30.09.11 15:25
Não é de hoje que Anthony Gonzales anda às voltas pelo mundo dos sonhos. Mesmo nunca tendo explicitado antes (em nomes de álbuns), o francês que é corpo e alma da ex-dupla M83 anda de braços dados com Morfeu desde que decidiu fazer música, lá no começo dos anos 2000.

Não surpreende então que o último álbum do M83 se chame Hurry Up, We're Dreaming.

Em entrevista à Spin, em junho, Gonzales disse que o disco seria sobre os diferentes tipos de sonho nas diferentes fases da vida, da infância à vida adulta. Para um conceito tão abrangente, um projeto ambicioso: um álbum duplo.

Tal ousadia pode ter basicamente duas consequências; ou o disco em questão é um clássicos ou um lixo. Estranhamente, no caso de Hurry Up, nenhuma das alternativas é verdadeira.

O disco não é dispensável por trazer belos momentos entre suas 22 faixas; e não é raro por trazer também outros momentos pouco inspirados, seja nas horas de imersão seja nos upbeats.

O shoegaze sintetizado do M83 está aqui, bem como a ambient music, o pós rock, o dream pop, a eletrônica de viés oitentista e a melancolia, mas de um modo geral a impressão é que Hurry Up apresenta um Gonzales menos vago e low profile, mais disposto ao pop. Basta ouvir "Midnight city", segunda música do primeiro disco, algo como o Human League remixado pelo Justice com um solo sem vergonha de sax no final.

Na outra ponta dessa linha pop estão a beleza triste e quase acústica de "Soon my friend", "Wait" e "Splendor", três canções doloridas e emocionantes, baseadas em acordes de violão e vocais sonhadores. No caminho do meio, o indie rock/shoegaze aparece básico e barulhento em ótimas músicas, como "This bright flash", "New map", a folkie "Year one, one UFO", "Steve McQueen" (lembrando o Chapterhouse) e no mergulho profundo de "Echoes of mine". E costurando tudo isso, surgem alguns interlúdios instrumentais para tomar - ou perder - fôlego.

Em Hurry Up, We're Dreaming há também a participação de convidados especiais: Brad Lerner (da banda indie dos 90's Medicine), a antiga colaboradora de Gonzales Morgan Kibby, a neo-gótica Zola Jesus e o baixista Justin Meldal-Johnsen, que produziu o álbum.

E no fim das contas, um disco duplo saiu realmente como exagero. Se limado, Hurry Up se tornaria mais enxuto e menos cansativo, e haveria aí um destaque natural para as boas composições de Gonzales, que desta vez pecou pelo excesso.

Midnight City by M83
MP3
Flash Content
M83 - Claudia Lewis (mp3)

Flash Content
M83 - This Bright Flash (mp3)


Fábio Bridges
Fábio Bridges
www.pequenosclassicosperdidos.wordpress.com
comentários
3 comentários
Lucas Souza
Lucas Souza(04.12.11)
0AprovadoQueima
Midnight City é uma das músicas mais incríveis que eu já ouvi. E concordo contigo: um álbum só, melhor selecionado, teria dado ao HUWD algum título entre os melhores da cena club de 2010.
Fábio Bridges
Fábio Bridges (06.10.11)
0AprovadoQueima
é. acho mesmo que se fosse um disco 'simples' seria bom.
Thiago Freitas
Thiago Freitas(05.10.11)
frustrou.