Coletâneas para fechar o ano
faça login para votar!
Enviar esse texto
login para votar!
Enviar esse texto
  • Currently 5.00/5
Nota: 5.0 (1 voto)
login para votar!
ficha técnica
Nota: 4.3 / 5
Ano: 2008
Selo: ALT DELETE Recordings / Ministry of Sound / !K7 /
Estilos: Electro, synth-pop, disco, baleárico, hits
social bookmarks
Coletâneas para fechar o ano
Uma seleção do maximal ao balearic para você renovar o iPod nesse verão
22.12.08 14:40
2008 foi um ano sadio para as coletâneas, como você pode conferir dentro de nossa seção de resenhas. Agora, final de dezembro, analisamos um último compêndio de boas coletâneas e mixtape dos mais variados gêneros.

Começamos com uma mixtape que mostra o lado consolidado da fama da turma new rave dois anos depois de surgimento. Seguimos com uma excelente e grandiosa compilação de balearic music, a seleção de hits infalíveis do Rapture e dois lados do maximal.


Digital Penetration Vol. 2
ALT DELETE RECORDINGS
Nota: 4.5


A primeira edição da compilação, lançada em junho de 2006, foi responsável por introduzir a new rave ao mundo. Crystal Castles, Klaxons, New Young Pony Club, These New Puritans, Shitdisco, Dandi Wind e We Are Wolves - além de Cut Copy, Presets e Architecture In Helsinki em músicas mais eletrônicas, antes de ficarem grandes. Tudo isso custando £5. Então, era de estar ansioso para finalmente ouvir a segunda edição. No entanto, ao contrário da estréia, as maiores bandas do volume 2 já se encontram estabilizadas e no ápice de sua carreira - culpe os blogs por serem mais rápidos que as gravadoras.

Mas como Metronomy, Late of the Pier, Glass Candy, Kavinsky, DJ Mehdi e Kap Bambino provam, isso não torna a segunda edição menos interessante. Ainda mais quando entram no time de novatos futuras estrelas como Primary 1, Duchess Says, Cleckhuddersfax, Professor Murder, Friday Bridge e Ungdomskulen. Devidas as proporções, a Digital Penetration Vol. 2 reúne os melhores artistas com espírito punk do underground - só que hoje em dias, as crianças ao invés de pegarem guitarras mal afinadas, utilizam sintetizadores 8-bit e ao invés de fanzines, blogs. Excelente e didática introdução a geração do digital punk.

Flash Content
Duchess Says - Black Flag (mp3)

Flash Content
Friday Bridge - It Girl (mp3)

Flash Content
Kap Bambino - Neutral (mp3)


Nu Balearica
MINISTRY OF SOUND
Nota: 4.3


Essa coletânea, lançada pela famosa label inglesa Ministry of Sound em junho último para dar partida ao verão do hemisfério norte, vale o registro. Ainda mais agora que começa o verão brasileiro e a versatilidade do beat balearic combina bastante com nossa terra ensolarada. Quem comanda a Nu Balearica é Fred Deakin, metade da relevante dupla Lemon Jelly. No meio de infindáveis compilações de neo- disco e neo-balearic, o registro deste CD de cara comercial e alma underground vale pela grandiosidade (são 31 faixas em dois CDs) e pela técnica - Mr. Deakin é um ótimo DJ.

Não faltam hits. "Here Today" (Al Usher); "Piece Together (Part 2)" (Reverso 68, bem deep house); o remix de Prins Thomas para "Life's a Beach" (Studio); "The Contemporary Fix", hino de Hans-Peter Lindstrom e outras boas seleções que vão da ambientação étnica globalizada (ouça a ótima versão de Todd Terje para "The Secret Field", de Kaoru Inoue) ao sabor moderno da eletrônica urbana (nesse caso vale a dica para "Across the Spree", do ótimo Professor Genius, produtor da patota Italians do It Better).

Flash Content
Kaoru Inoue - The Secret Field (Todd Terje Remix) (mp3)

Então para um bom verão, cheio de retrospectos do que foi a música ambient em 2008, vale essa coletânea cheia de hits que não enjoam, que é bem mixada com uma costura de deliciosas faixas curiosas, como as citadas no parágrafo acima e outras. Uma última dica: a "Re-Animation" do projeto Beyond The Wizard's Sleeve para "Raise the Proof", da Tracey Thorn. Delicioso.

Flash Content
Tracey Thorn - Raise The Roof (Beyond The Wizard\'s Sleeve Re-Animation) (mp3)

Flash Content
Professor Genius - Across The Spree (mp3)

Flash Content
Studio - Life\'s A Beach! (Prins Thomas Remix) (mp3)


The Rapture - Tapes
!K7
Nota: 4.2


No primeiro semestre o hype foi comandado pelo electro pesado, distorcido. Até que ele deu lugar, assim como todo movimento que surge ou retorna às pistas, à sua antítese. Complicado? Vamos dar nome aos bois. Era o minimal, veio o maximal voltou a disco. Sai Crookers entra Holy Ghost! no posto de remixer do momento, sai Rapture fase-"House of Jealous Lovers" e entra o Rapture-!K7 Tapes.

Bem balanceada com hits e semi-hits de décadas distintas e muito bem mixada, a Tapes é uma ótima surpresa da !K7 que ia passar 2008 batida por causa de toda a enrolação da DJ Kicks do Burial e do Flying Lotus. Surpresa também é ver o Rapture perdendo o punk da sua disco e finalmente acolhendo o seu lado DFA ao mixar Syclops (aka Maurice Fulton) com DJ Mujava, Thomas Bangalter com Kiloo (em remix do Phonique) e qualquer outra mistura que soe como 1984. É de ficar mais ansioso ainda para ver como o sucessor de Pieces of the People We Love.

Flash Content
The Bar-Kays - Holy Ghost (mp3)

Flash Content
Vaughan Mason & Crew - Bounce, Rock, Skate, Roll (mp3)

Flash Content
Northend - Tee\'s Happy (mp3)


Bang Gang DJs - D is for Disco, E is for Dancing
MODULAR
Nota: 4.2


O Bang Gang DJs é um coletivo de DJs australiano composto por Ajax, Jaime Doom, Dangerous Dan, Gus da Hoodrat, DJ Damage e Double Nolan. Mas ao contrário dos outros coletivos de músicos, os seis integrantes fazem tudo juntos. Numa dessas, o mix que eles lançaram pela Modular virou disco duplo, o D is for Disco e o E is for Dancing.

D is for Disco
Basicamente é um set extremamente dançante, criativo e de extremo bom gosto que passeia entre disco, pop, synth-pop e electro (sem maximal aqui). Se os outros coletivos de DJs fugissem da monotonia dos hits descobririam que misturar Jamie Lidell, Ratatat, Jackson & His Computer Band, Midnight Mike e Late Of The Pier não só funciona, como anima pela qualidade e pela perfeita fusão dos elementos. Isso sem contar na mistura da "música eletrônica de verdade" com aquela mais descompromissada num set só que agrada xiitas (Supermayer, Justus Köhncke e Mickey Moonlight) e sunitas (Yuksek, The Presets e Shitdisco).

Flash Content
Jackson & His Computer Band - Rock On (mp3)

Flash Content
Midnight Mike - I Need You Tonight (mp3)

Flash Content
Late Of The Pier - The Bears Are Coming (mp3)

E is for Dancing
Essa é o lado maximal do mix: tem synth-pop mias pesado, muitos recortes de sintetizadores, solos de guitarras cafonas oitentistas e um pouco de world music (tem até a indiana "Jimmy" da M.I.A.). Só que, mais uma vez, as escolhas não óbvias fazem da mixtape algo interessante até para quem não é dos mais fãs do estilo. Underworld em remix do Fake Blood, as novas do Beni e do Bag Raiders e remixes bons para o Cut Copy, Tough Alliance e Boys Noize. Se o maximal como um todo se comportasse assim, o gênero teria durado mais do que um verão.

Flash Content
Diskokaine - Riminini (Instrumental) (mp3)

Flash Content
Tmvr - Bowie In The Bronx (Shinichi Osawa Remix) (mp3)

Flash Content
Bag Raiders - Turbo Love (Tough Love Edition) (mp3)

Raphael Caffarena
Raphael Caffarena
www.imyouare.com
Jade Augusto Gola
Jade Augusto Gola
comentários
10 comentários
nossa todas essas parecem boas uheuehue top
Jade Augusto Gola
0AprovadoQueima
@Regis

arrumei!
Regis
Regis(23.12.08)
0AprovadoQueima
O link de "Studio - Life's A Beach! (Prins Thomas Remix) " tá quebrado.
Creep
Creep(23.12.08)
-1AprovadoQueima
@gaía ;) Vale realmente a pena. hoje mesmo eu subo a resenha para o Blog Drama na Dynamite
CAio C B
CAio C B(23.12.08)
0AprovadoQueima
Bang! Gang! Eu sou suspeito de falar, eu adoro as mixtapes, coletaneas, sets, o sons deles é demias, gostaria de ver, Ajax, Hoodrat, gus.