Coletâneas para fechar o ano
faça login para votar!
Enviar esse texto
login para votar!
Enviar esse texto
  • Currently 5.00/5
Nota: 5.0 (1 voto)
login para votar!
ficha técnica
Nota: 4.3 / 5
Ano: 2008
Selo: ALT DELETE Recordings / Ministry of Sound / !K7 /
Estilos: Electro, synth-pop, disco, baleárico, hits
social bookmarks
Coletâneas para fechar o ano
Uma seleção do maximal ao balearic para você renovar o iPod nesse verão
22.12.08 14:40
2008 foi um ano sadio para as coletâneas, como você pode conferir dentro de nossa seção de resenhas. Agora, final de dezembro, analisamos um último compêndio de boas coletâneas e mixtape dos mais variados gêneros.

Começamos com uma mixtape que mostra o lado consolidado da fama da turma new rave dois anos depois de surgimento. Seguimos com uma excelente e grandiosa compilação de balearic music, a seleção de hits infalíveis do Rapture e dois lados do maximal.


Digital Penetration Vol. 2
ALT DELETE RECORDINGS
Nota: 4.5


A primeira edição da compilação, lançada em junho de 2006, foi responsável por introduzir a new rave ao mundo. Crystal Castles, Klaxons, New Young Pony Club, These New Puritans, Shitdisco, Dandi Wind e We Are Wolves - além de Cut Copy, Presets e Architecture In Helsinki em músicas mais eletrônicas, antes de ficarem grandes. Tudo isso custando £5. Então, era de estar ansioso para finalmente ouvir a segunda edição. No entanto, ao contrário da estréia, as maiores bandas do volume 2 já se encontram estabilizadas e no ápice de sua carreira - culpe os blogs por serem mais rápidos que as gravadoras.

Mas como Metronomy, Late of the Pier, Glass Candy, Kavinsky, DJ Mehdi e Kap Bambino provam, isso não torna a segunda edição menos interessante. Ainda mais quando entram no time de novatos futuras estrelas como Primary 1, Duchess Says, Cleckhuddersfax, Professor Murder, Friday Bridge e Ungdomskulen. Devidas as proporções, a Digital Penetration Vol. 2 reúne os melhores artistas com espírito punk do underground - só que hoje em dias, as crianças ao invés de pegarem guitarras mal afinadas, utilizam sintetizadores 8-bit e ao invés de fanzines, blogs. Excelente e didática introdução a geração do digital punk.

Flash Content
Duchess Says - Black Flag (mp3)

Flash Content
Friday Bridge - It Girl (mp3)

Flash Content
Kap Bambino - Neutral (mp3)


Nu Balearica
MINISTRY OF SOUND
Nota: 4.3


Essa coletânea, lançada pela famosa label inglesa Ministry of Sound em junho último para dar partida ao verão do hemisfério norte, vale o registro. Ainda mais agora que começa o verão brasileiro e a versatilidade do beat balearic combina bastante com nossa terra ensolarada. Quem comanda a Nu Balearica é Fred Deakin, metade da relevante dupla Lemon Jelly. No meio de infindáveis compilações de neo- disco e neo-balearic, o registro deste CD de cara comercial e alma underground vale pela grandiosidade (são 31 faixas em dois CDs) e pela técnica - Mr. Deakin é um ótimo DJ.

Não faltam hits. "Here Today" (Al Usher); "Piece Together (Part 2)" (Reverso 68, bem deep house); o remix de Prins Thomas para "Life's a Beach" (Studio); "The Contemporary Fix", hino de Hans-Peter Lindstrom e outras boas seleções que vão da ambientação étnica globalizada (ouça a ótima versão de Todd Terje para "The Secret Field", de Kaoru Inoue) ao sabor moderno da eletrônica urbana (nesse caso vale a dica para "Across the Spree", do ótimo Professor Genius, produtor da patota Italians do It Better).

Flash Content
Kaoru Inoue - The Secret Field (Todd Terje Remix) (mp3)

Então para um bom verão, cheio de retrospectos do que foi a música ambient em 2008, vale essa coletânea cheia de hits que não enjoam, que é bem mixada com uma costura de deliciosas faixas curiosas, como as citadas no parágrafo acima e outras. Uma última dica: a "Re-Animation" do projeto Beyond The Wizard's Sleeve para "Raise the Proof", da Tracey Thorn. Delicioso.

Flash Content
Tracey Thorn - Raise The Roof (Beyond The Wizard\'s Sleeve Re-Animation) (mp3)

Flash Content
Professor Genius - Across The Spree (mp3)

Flash Content
Studio - Life\'s A Beach! (Prins Thomas Remix) (mp3)


The Rapture - Tapes
!K7
Nota: 4.2


No primeiro semestre o hype foi comandado pelo electro pesado, distorcido. Até que ele deu lugar, assim como todo movimento que surge ou retorna às pistas, à sua antítese. Complicado? Vamos dar nome aos bois. Era o minimal, veio o maximal voltou a disco. Sai Crookers entra Holy Ghost! no posto de remixer do momento, sai Rapture fase-"House of Jealous Lovers" e entra o Rapture-!K7 Tapes.

Bem balanceada com hits e semi-hits de décadas distintas e muito bem mixada, a Tapes é uma ótima surpresa da !K7 que ia passar 2008 batida por causa de toda a enrolação da DJ Kicks do Burial e do Flying Lotus. Surpresa também é ver o Rapture perdendo o punk da sua disco e finalmente acolhendo o seu lado DFA ao mixar Syclops (aka Maurice Fulton) com DJ Mujava, Thomas Bangalter com Kiloo (em remix do Phonique) e qualquer outra mistura que soe como 1984. É de ficar mais ansioso ainda para ver como o sucessor de Pieces of the People We Love.

Flash Content
The Bar-Kays - Holy Ghost (mp3)

Flash Content
Vaughan Mason & Crew - Bounce, Rock, Skate, Roll (mp3)

Flash Content
Northend - Tee\'s Happy (mp3)


Bang Gang DJs - D is for Disco, E is for Dancing
MODULAR
Nota: 4.2


O Bang Gang DJs é um coletivo de DJs australiano composto por Ajax, Jaime Doom, Dangerous Dan, Gus da Hoodrat, DJ Damage e Double Nolan. Mas ao contrário dos outros coletivos de músicos, os seis integrantes fazem tudo juntos. Numa dessas, o mix que eles lançaram pela Modular virou disco duplo, o D is for Disco e o E is for Dancing.

D is for Disco
Basicamente é um set extremamente dançante, criativo e de extremo bom gosto que passeia entre disco, pop, synth-pop e electro (sem maximal aqui). Se os outros coletivos de DJs fugissem da monotonia dos hits descobririam que misturar Jamie Lidell, Ratatat, Jackson & His Computer Band, Midnight Mike e Late Of The Pier não só funciona, como anima pela qualidade e pela perfeita fusão dos elementos. Isso sem contar na mistura da "música eletrônica de verdade" com aquela mais descompromissada num set só que agrada xiitas (Supermayer, Justus Köhncke e Mickey Moonlight) e sunitas (Yuksek, The Presets e Shitdisco).

Flash Content
Jackson & His Computer Band - Rock On (mp3)

Flash Content
Midnight Mike - I Need You Tonight (mp3)

Flash Content
Late Of The Pier - The Bears Are Coming (mp3)

E is for Dancing
Essa é o lado maximal do mix: tem synth-pop mias pesado, muitos recortes de sintetizadores, solos de guitarras cafonas oitentistas e um pouco de world music (tem até a indiana "Jimmy" da M.I.A.). Só que, mais uma vez, as escolhas não óbvias fazem da mixtape algo interessante até para quem não é dos mais fãs do estilo. Underworld em remix do Fake Blood, as novas do Beni e do Bag Raiders e remixes bons para o Cut Copy, Tough Alliance e Boys Noize. Se o maximal como um todo se comportasse assim, o gênero teria durado mais do que um verão.

Flash Content
Diskokaine - Riminini (Instrumental) (mp3)

Flash Content
Tmvr - Bowie In The Bronx (Shinichi Osawa Remix) (mp3)

Flash Content
Bag Raiders - Turbo Love (Tough Love Edition) (mp3)

Raphael Caffarena
Raphael Caffarena
www.imyouare.com
Jade Augusto Gola
Jade Augusto Gola
comentários
10 comentários
nossa todas essas parecem boas uheuehue top
Jade Augusto Gola
@Regis

arrumei!
Regis
Regis(23.12.08)
0AprovadoQueima
O link de "Studio - Life's A Beach! (Prins Thomas Remix) " tá quebrado.
Creep
Creep(23.12.08)
-1AprovadoQueima
@gaía ;) Vale realmente a pena. hoje mesmo eu subo a resenha para o Blog Drama na Dynamite
CAio C B
CAio C B(23.12.08)
0AprovadoQueima
Bang! Gang! Eu sou suspeito de falar, eu adoro as mixtapes, coletaneas, sets, o sons deles é demias, gostaria de ver, Ajax, Hoodrat, gus.