Skrillex, Pretty Lights e TV on The Radio se destacam entre atrações do Lollapalooza Brasil
faça login para votar!
Enviar esse texto
login para votar!
Enviar esse texto
social bookmarks
Skrillex, Pretty Lights e TV on The Radio se destacam entre atrações do Lollapalooza Brasil
Festival rola nos dias 7 e 8 de abril no Jockey Club de São Paulo
03.04.12 09:00
skrillexEm sua primeira edição brasileira, o Lollapalooza chega a SP com uma missão difícil - se estabelecer como um evento consolidado na conturbada agenda musical da cidade, que além de receber festivais de grande porte (Planeta Terra, SWU, Ultra Music Festival e agora o Sónar) reúne inúmeros shows internacionais todos os meses.

Na coletiva de imprensa do evento, o organizador Perry Farrel afirmou que o objetivo do festival é permanecer na cidade por muitos e muitos anos, trazendo artistas já consagrados e novos nomes de diversos estilos musicais. O anúncio já começou dúbio, com Farrell afirmando que a música eletrônica é provavelmente o gênero mais importante e inovador dos últimos anos - sendo que seu festival traz poucos nomes verdadeiramente novos da cena, com exceção da sensação Skrillex -, mas é inegável que o festival chega a SP com força trazendo um headliner muito aguardado pelo público (o Foo Fighters) e boas surpresas como TV On The Radio, Pretty Lights e Foster The People.

Para facilitar a jornada de quem irá até o Jockey Club nos dias 7 e 8 de abril, escolhemos alguns destaques do line-up do Lollapalooza Brasil, que reúne ao todo 50 atrações neste feriado de Páscoa.

foo fighters

Foo Fighters - Ao lado do Arctic Monkeys, o Foo Fighters é a principal atração do festival, com um show previsto para durar cerca de duas horas e meia. Os roqueiros liderados por Dave Grohl lançaram em 2011 seu álbum mais recente, o elogiado Wasting Light, e chegam por aqui com uma turnê pesada feita para grandes arenas.

Falando sobre o disco, Grohl afirmou que as novas músicas foram compostas e gravadas pensando em um som gigantesco, próprio para shows em estádios e espaços abertos. Ou seja: provavelmente ninguém vai poder reclamar de falta de ambição ou sons propositalmente grandiloquentes no principal show do festival.


Para quem prefere ficar longe do rock não existem muitas opções no mesmo horário, a não ser o set habitualmente farofa de Calvin Harris, que tocou no Brasil recentemente e produziu no ano passado um dos hits mais tocados nas rádios: We Found Love, com a cantora Rihanna.

Calvin Harris - Falando nele, o escocês fecha o primeiro dia do Lollapalooza com seu habitual set electro pop, que pode ir do sample mais farofa ao groove sintetizado mais surpreendente. Apostar em um set de Harris é aceitar esse mix entre o completamente comercial - orientação que dominou o álbum Ready For The Weekend, de 2007, e que pode ir do synth pop às linhas ultra padronizadas de David Guetta em poucos minutos -, algumas surpresas e boas faixas antigas, como "Acceptable in The 80's" (do álbum I Created Disco).


Considerando seus últimos lançamentos, é mais fácil imaginar um set totalmente voltado para o pop, ainda mais se tratando de um show de encerramento de grande festival - mesmo papel que o holandês Tiesto teve no fim do SWU.

TV on the radio

TV on The Radio - A banda de indie rock, que lançou no ano passado o álbum Nine Types of Light, tocou no Brasil em 2006 no finado Tim Festival, mas esta é a primeira vez que o grupo chega por aqui com um repertório mais conhecido e em um excelente momento em sua trajetória. A história do elogiado Nine Types of Light terminou com uma sombra - poucos depois do lançamento do álbum, o baixista Gerard Smith faleceu de câncer de pulmão.


Com muitos fãs, um instrumental bem trabalhado e emocionante em estúdio e um bom disco nas costas para a atual turnê, o show do grupo promete ser um dos mais interessantes do line-up.

The Crystal Method - Outra alternativa para quem quiser pular um pedaço do headliner Foo Fighters é a apresentação do Crystal Method, duo de eletrônica formado por Scott Kirkland e Ken Jordan.


Embora o duo tenha perdido um pouco o rumo com o irregular Divided By Night, de 2009 (que apesar de boa instrumentação e grooves fortes não consegue ganhar força e se perde em participações sem sentido, como a do LMFAO), seu set costuma trazer boas surpresas e manter um bom ritmo ao vivo devido à harmonia dos músicos e ao repertório consistente de seus primeiros trabalhos.

MGMT - O hype do primeiro disco passou há muito tempo, e o grupo chega por aqui com um histórico não muito bom de shows - sua apresentação no último Tim Festival, com o repertório do album Oracular Spetacular, foi longo, irregular e repleto de riffs enfadonhos. Entretanto, o grupo tem agora uma nova oportunidade: aproveitar a passagem pelo Brasil para apresentar o repertório de seu disco inédito, intitulado MGMT e ainda sem data de lançamento definida.


Skrillex - O show do americano vai ser aquele que todo mundo vai falar mal, mas que ninguém vai deixar de assistir. Um dos expoentes do braço mais genérico da dance music americana, que tem conquistado o público jovem sob a alcunha de "pós-dubstep" (embora as músicas de Skrillex se identifiquem muito mais com o maximal do que com o gênero estabelecido por artistas como Burial e Zomby), Skrillex foi uma surpresa.


Se muitos esperavam que Rusko e Skream seriam os porta-vozes do estilo após suas incursões pelo mainstream, Skrillex empurrou todo mundo para fora da competição com uma mistura nervosa e bombástica de hinos de arena, electro e até fidget house. Não sobrou espaço para mais ninguém: pupilo de Deuamau5 e já headliner de festivais de eletrônica pelo mundo, Skrillex foi capa da Billboard (ao lado de Diplo e A-Track), ganhou um Grammy e se prepara para lançar um álbum de estúdio.

Foster The People - Novos queridinhos do público alternativo e do mainstream, a banda faz a tradicional mistura entre indie rock e elementos eletrônicos, e já conquistou muitos fãs com uma receita simples de composição e um grande comprometimento com a diversão.


Hits como "Pumped Up Kids" e "Miss You" são presença garantida no setlist da banda, que exatamente por não se esforçar muito para criar composições esmeradas e repletas de detalhes técnicos acaba conseguindo bons resultados na hora de simplesmente se divertir. Se a fórmula vai dar certo ao vivo é outra história, mas é uma boa aposta entre os grupos novos do line-up.

friendy flires

Friendly Fires - A mistura deliciosa entre indie rock, pitadas de disco e muitos sintetizadores sempre funcionou bem para o Friendly Fires, que já se apresentou no Brasil e ganhou uma justa reputação de boa banda ao vivo.


Se a mistura entre indie rock e eletrônico costuma ser furada em alguns novos grupos - principalmente porque as texturas sintetizadas e samples acabam sendo vistos como elementos exóticos, e não como sonoridades legítimas que merecem ser incorporadas com criatividade -, o Friedly Fires sempre teve o bom senso de ir além da mistura banal ao construir novas linguagens com o solo eletrônico, os sintetizadores e a percussão. Um daqueles shows que garantem um sorriso no fim do festival.

Pretty Lights - Uma das (boas) surpresas do line-up é a presença do Pretty Lights, projeto do produtor Vincent Smith ao lado do baterista Cory Eberhard. O duo traz ao vivo um set repleto de influências da dance music, do hip hop e trabalha várias técnicas de manipulação sonora e experimentalismos.


Seus remixes malucos (como essa mistura entre Radiohead, Nirvana e Nine Inch Nails) estão sempre arranjando um lugar entre as faixas mais tocadas no Hype Machine, e suas apresentações ao vivo costumam ser apoteóticas. Outro show para não deixar de ver.

Tinie Tempah - O carismático rapper inglês nunca tocou no Brasil, e chega por aqui com um álbum inédito em seu repertório e boas histórias para contar. Com músicas que misturam referências pop e elementos eletrônicos, Tempah ganhou dois Brit Awards, tocou no festival de Glastonbury com Snoop Dogg e já foi apadrinhado por gente do tamanho de Rihanna e seu mentor, Jay-Z. Como todo bom show de rap, é ao vivo que vamos conferir o quão bom é o flow e a ginga de Tempah.



Lollapalooza Brasil
Quando: 7 e 8 de abril
Onde: Jockey Club de São Paulo
Quanto: ingressos esgotados para o dia 7; dia 8 de R$ 150 a R$ 300
Clique aqui para ver o line-up completo: http://www.lollapaloozabr.com/

Stefanie Gaspar
Stefanie Gaspar
comentários